Pesquisadores do OBISF realizam 2ª oficina de devolutiva de pesquisas sobre a Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente

Dando continuidade às oficinas de devolutivas acerca das pesquisas que estão sendo desenvolvidos sobre a Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente, o mestrando João Libório e o doutorando Thiago Magalhães, do Programa de Pós-Graduação em Administração, pesquisadores do Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (NISP) e do Observatório de Inovação Social de Florianópolis (OBISF), da Esag/Udesc, apresentaram ontem, 13 de agosto de 2020, alguns dos resultados de suas pesquisas, com foco na ação governamental, acerca da Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente em Florianópolis. Ambos são orientados pela professora Dra Carolina Andion, que é coordenadora do NISP e do OBISF.

Esses resultados foram apresentados por meio da realização da 2ª Oficina de Devolutiva – a primeira foi realizada no dia 30 de julho de 2020, com foco nas Organizações da Sociedade Civil (OSCs) –, que contou com aproximadamente 40 participações, incluindo integrantes do OBISF, atores governamentais e público geral.

A professora Carolina Andion fez a abertura da oficina com as considerações iniciais, ressaltando a importância do evento para a rede que trabalha com a criança e o adolescente e também para a validação dos achados das pesquisas, pontuando, portanto, que não se tratam de resultados definitivos. Após a sua fala, a professora passou a palavra para alguns dos parceiros e atores envolvidos na rede e, posteriormente, passou a palavra para os pós-graduandos apresentarem alguns dos resultados.

O mestrando João Libório está fazendo sua dissertação sobre a “Atuação das Organizações da Sociedade Civil junto à Política de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente em Florianópolis”. Já o doutorando Thiago Magalhães está fazendo a sua tese sobre os “Laboratórios vivos de inovação social, investigação pública e experimentação democrática em políticas públicas: Um estudo na Arena Pública de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente em Florianópolis”.

Ambos trouxeram alguns resultados bastante relevantes para se pensar as políticas, mas também com foco no fazer política, retratando a importância dos atores governamentais nesta rede, bem como da necessidade de um monitoramente contínuo e de uma governança colaborativa que seja capaz de gerenciar os inúmeros desafios que surgem.

A oficina, com o objetivo de refletir sobre a rede de garantia dos direitos da criança e do adolescente na cidade, a partir das experiências dos atores, com foco na ação governamental, foi realizada em parceria com o Instituto Comunitário de Florianópolis (ICOM) e com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Além disso, a oficina está alinhada com a campanha “ECA 30 Anos: crianças e adolescentes como prioridade absoluta”, que integra o Projeto Articula Floripa, cujo objetivo é fortalecer o CMDCA, promovendo espaços de articulação entre os atores do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente (SGDCA), de forma colaborativa e em parceria, para garantia efetiva desses direitos em Florianópolis. Quer conhecer e aderir a campanha? Acesse o link a seguir: http://eca30anosfloripa.com.br/.

Após as falas dos pós-graduandos, a professora Carolina Andion fez algumas considerações complementares e apresentou alguns comentários e algumas perguntas apresentadas pelos participantes da oficina por meio do chat, promovendo o debate acerca dos resultados apresentados, com foco, inclusive, na validação destes.

Por Hudson Oliveira, redator de Comunicação do OBISF / NISP / ESAG / UDESC



Deixe uma resposta